Vale a pena desconectar-se?

Vale a pena desconectar-se?

Olá pessoal do bem.

Vivemos num mundo conectadíssimo, no celular, no computador, no vídeo game, com a música, na rede social, e muitas outras variáveis, e acho isso fantástico, um mundo novo a descobrir a cada instante.

Mas ao mesmo tempo, percebo que estamos “coisificando” as pessoas, “coisas” não são importantes, “pessoas” são importantes, pois com elas temos o poder de se relacionar, de trocar experiências, de aprender com elas, de se conhecer por intermédio de pessoas.

Há necessidade de equilíbrio, senão, não conseguiremos desenvolver a solidariedade que existe dentro de nós. O conceito parece simples e está intrínseco à nossa existência, ajudar o próximo sem esperar recompensas. A solidariedade indica o compromisso realizado entre as pessoas para a cooperação mútua, e são as mínimas atitudes do dia a dia que temos a oportunidade efetiva de exercê-la.

Quando estamos conectados demais com o mundo virtual, deixamos de sentir as pequenas atitudes que nos moldam, que nos fazem crescer como seres humanos. Perdemos a oportunidade de pegar na mão do outro para apoiá-los e eles a nós, perdemos a oportunidade de sentir algo mais profundo, pois tudo passa rápido e quando você se desconectar será tarde para aproveitar tudo o que já se passou. Pessoas gritam por atenção, por socorro, por um abraço, por uma palavra de ânimo, por relacionamento, sejam conhecidas ou desconhecidas.

O abraço quentinho a gente só sente presencialmente. Se você precisa de ajuda, muitas pessoas também estão precisando, e a solidariedade causa isso, a cura para ambas.

Desconectar-se é igual a conectar-se com o seu mundo real, aquele que lhe traz a memória aquilo que lhe traz esperança, conectar-se consigo mesmo, é conectar-se com pessoas, é sentir as emoções na pele, é poder resolver mais que o seu problema, mas é reduzir os nossos e ainda sim, levar vida e esperança para quem mais necessita.

“Se as pessoas pensassem um pouco mais umas nas outras, certamente o mundo seria menos egoísta”, diz Márcia de Castro Lopes, autora do livro “Solidariedade, uma grande palavra grande” (Ed. LGE, 2009). Márcia abordou o tema “solidariedade” quando seu filho mais novo foi baleado ao tentar salvar uma senhora de 89 anos que estava sendo assaltada. A mãe relata que o filho morreu de solidariedade, de um fim trágico, ela leva pelo livro a palavra de amor, que ainda sim vale lutar uns pelos outros.

Que tal desconectar-se e experimentar um mundo sensível à sua volta? Descubra-se!

Desconecte-se e busque o equilíbrio!

Vejam este video e descubram a sensação de “desconectar-se”.

Um abraço,

Alessandra Lazarin

“Quando somos voluntários nos tornamos pessoas mais humanas”

 

alessandralazarinramos

Trabalho desde 1995 como voluntária com adolescentes e jovens, ensinando que pelo comportamento e amor ao próximo podemos fazer a diferença que queremos para o nosso mundo!

Um comentário em “Vale a pena desconectar-se?

  • 16/10/2017 em 10:39
    Permalink

    Muito bom, precisamos nos DESCONECTAR com certeza.

    Resposta

Que bom contar com sua parceria! Seja bem vindo!

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas